Recorde: Itabuna está há 27 dias sem registro de homicídio




A população de bem do município de Itabuna no sul da Bahia, vive amedrontada ao andar nas ruas da cidade devido as ações violentas como: tiroteios e assaltos provocados pelos integrantes das duas facções que aqui dominam. Mas existe algo a ser noticiado: Há 27 dias, Itabuna não registra memhum assassinato, sendo o último crime anotado no Núcleo Habitacional da Ceplac, localizado na zona sul. Na madrugada do dia de 24 de Junho, no São João, um jovem de 18 anos, identificado como Guilherme, pertencente a facção criminosa Raio A, foi executado a tiros. Este período de 27 dias sem nenhuma execução aqui na cidade, é um novo recorde, pois o anterior era do ano de 2016, quando entre agosto e setembro, o município ficou cerca de 26 dias sem homicídios. Mas isso não significa que os atentados não continuam ocorrendo, só que as vítimas tem sobrevivido aos tiros, facadas ou pauladas. Devemos sim comemorar esse recorde alcançado e uma boa parcela da população sabe o porque dessa tranquilidade. Mas não podemos esconder do restante da sociedade algo importante sobre isso. É que todos estes dias sem execuções, deve-se ao acordo de trégua envolvendo as facções de Itabuna, Raio A e DMP. Desde fevereiro de 2020, pelo fato de que, altos números de homicídios ocorrendo como antigamente, provocaria transferências dos líderes das duas organizações criminosas para presídios federais espalhados pelo Brasil, causando dificuldades de comunicação entre os bandidos com os seus familiares, advogados e comparsas do lado de fora. Os traficantes perigosos, que são líderes do Raio A e estão cumprindo pena aqui em Itabuna são: Fábio Possidônio, Diego Cabeludo, Robério, Papel, Railton, Diego Babão e outros. Já os do DMP são: Tiago Penteado (foto), Manso e outros. Veremos por quantos mais dias, a cidade ficará sem nenhum crime registrado.

57 visualizações0 comentário