Márcio Marinho cobra posicionamento do governo brasileiro após deportações arbitrárias da Angola





Bastante indignado o deputado federal Márcio Marinho ( Republicanos) cobrou hoje nessa quinta-feira (13) em um discurso na Câmara de Deputados em Brasília um posicionamento do Ministério de Relações exteriores ou até mesmo do Presidente da República, Jair Bolsonaro sobre as deportações arbitrárias de nove missionários que chegaram ontem (12) da Angola.


Os missionários que são brasileiros e pastores da Igreja Universal estavam na Angola há mais de 20 anos, além da atuação com a evangelização, diversos projetos sociais eram realizados no país africano.


Foram expulsos em meio a uma perseguição religiosa e política que acontece há mais de um ano.



O parlamentar destacou que assim como aconteceu com os pastores essa ação abriu precedência para outros brasileiros ou estrangeiros serem perseguidos também. ''Hoje aconteceu com os brasileiros, mas amanhã podem ser outros estrangeiros que estão la''.


Marinho também reforçou o bom relacionamento dos países e que é de se estranhar tal arbitrariedade do governo angolano e a omissão do governo brasileiro ''O Brasil está omisso e calado com o que aconteceu (..) . Você sabe que o brasil sempre estendeu as mãos para a Angola, e hoje o que recebemos é esse tratamento desumano'' indignou-se. De acordo com as informações os missionários ficaram dias no aeroporto, sem tomar banho e alimentação adequada. E suas respectivas esposas ficaram no país angolano.

Texto: Thais Santana